Interpretação do Alcorão -Báqara VII

14:03 - 2021/11/24

A palavra árabe “kafarú” (que signifca incrédulos” ou “encobridores”) indica que a descrença é antônima do agradecimento, como a graça é autônima de censura. A incredulidade é o encobrimento e a ocultação da dádiva. O agradecimento signifca revelá-la e mostrá-la.

Interpretação do Alcorão

Interpretação do Alcorão -Báqara  parte 7

Quando aborda estas duas categorias de pessoas, o Alcorão sagrado caracteriza as diferentes faces da incredulidade em todo lugar e todo tempo. Deus, exaltado seja, diz: “Quanto aos incrédulos¹, tanto se lhes dá que os admoestes ou não os admoestes; não crerão.  Deus selou os seus corações e os seus ouvidos; seus olhos estão velados e sofrerão um severo castigo”.[1]
A presença do pronome relativo “quanto” é para chamar a atenção em relação a uma pessoa ou grupo em particular. Confrmam essa interpretação as palavras do Altíssimo: “tanto se lhes dá que os admoestes ou não os admoestes; não crerão.” O termo, portanto, não pode ser considerado indicativo de todos os incrédulos, pois, se assim fosse, estaria trancada a porta da orientação.

A palavra árabe “kafarú” (que signifca incrédulos” ou “encobridores”) indica que a descrença é antônima do agradecimento, como a graça é autônima de censura. A incredulidade é o encobrimento e a ocultação da dádiva. O agradecimento signifca revelá-la e mostrá-la. Quem encobre algo, esconde-o. Por isso, dizse, em árabe, que o semeador é káfr, ou seja, aquele que oculta a semente”: “... é como a chuva, que compraz aos cultivadores, por vivifcar a plantação.[2]

O cultivador, aqui, foi denominado “káfr” por ocultar as sementes, da mesma forma que a noite é denominada de “káfr” por causa de suas trevas, que ocultam a luz.
O imam Assádiq (que a paz esteja com ele) disse: “A kufr (“incredulidade” ou “ocultação”), no Livro de Deus, tem cinco faces; uma delas é a incredulidade, que por sua vez tem três aspectos: negar a dádiva, negar o que Deus ordenou e negar a inocência. Quanto à incredulidade, é a negação da divindade. É dizer que não há Deus, nem Paraíso, nem inferno. Pode-se dizer que, aqui, há dois tipos de ateus, denominados “livres pensadores”: “... não nos aniquilará senão o tempo![3]. Eles são autores da religião que estipularam para si mesmos, por seu arbítrio, sem comprovar nada do que afrmam.

A seu respeito, Deus, exaltado seja, diz: “... não fazem mais do que conjecturar [4]. E afrma, ainda: “Quanto aos incrédulos, tanto se lhes dá que os admoestes ou não os admoestes; não crerão[5].” . Ou seja, não crêem na Unicidade. Quanto à outra face, é a negação da verdade mesmo quando se tem conhecimento de que ela é “verdadeira”. Deus Exaltado seja, diz: “E os negaram, por iniqüidade e arrogância, não obstante estarem deles convencidos[6]”  E afrma: “... apesar de antes terem implorado a vitória sobre os incrédulos – quando lhes chegou o que sabiam, negaram-no. Que a maldição de Deus caia sobre os incrédulos![7]

A terceira face corresponde à negação das dádivas, um procedimento indicado pelas palavras de Deus quando Ele dirigiu-se a salomão: “Isto provém da graça de meu Senhor, para verifcar se sou grato ou ingrato. Pois quem agradece, certamente o faz em benefício próprio; e saiba o mal agradecido que meu Senhor não necessita de agradecimentos, e é Generoso[8]. E diz: “Se Me agradecerdes, multiplicar-vos-ei os favores; se não Me agradecerdes, sem dúvida que o Meu castigo será severíssimo[9]” E diz, ainda: “Recordai-vos de Mim, que Eu Me recordarei de vós. Agradecei-Me e não sejais ingratos!”.[10]

A quarta face do encobrimento é desobedecer às ordens de Deus, exaltado seja. são suas palavras:“E de quando exigimos o vosso compromisso, ordenando-vos: Não derrameis o vosso sangue, nem vos expulseis reciprocamente de vossas casas; logo o confrmastes e testemunhastes. No entanto, vede o que fazeis: estais-vos matando; expulsais das vossas casas alguns de vós, contra quem demonstrais injustiça e violação; e quando os fazeis prisioneiros, pedis resgate por eles, apesar de saberdes [11]que vos era proibido bani-los. Credes, acaso, em uma parte do Livro e negais a outra?. Devido à sua incredulidade, desobedecendo às ordens de Deus, a sua pretensão à fé tornou-se inaceitável, sendo-lhes inútil.

Deus diz: “... Aqueles, dentre vós, que tal (fato) cometeram, não receberão, em troca, senão a desonra, na vida terrena e, no Dia da Ressurreição, serão submetidos ao mais severo dos castigos. E Deus não está desatento em relação a tudo quanto fazeis”.[12]

 

[1] . Alcorão sagrado, 2:6-7

[2] .Alcorão sagrado, 57:20

[3] . Alcorão sagrado, 45:24

[4] . Alcorão Sagrado, 45:24

[5] . Alcorão sagrado, 2:6.

[6] . Alcorão sagrado.27:14.

[7] . Alcorão sagrado, 2:89

[8] . Alcorão sagrado, 27:40

[9] . Alcorão sagrado.14:7.

[10] . Alcorão sagrado, 2:152

[11] . Alcorão sagrado, 2:84-85

[12] . Alcorão sagrado, 2:85

Plain text

  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <span> <blockquote> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <br> <hr> <h1> <h2> <h3> <h4> <h5> <h6> <i> <b> <img> <del> <center> <p> <color> <dd> <style> <font> <u> <quote> <strike> <caption>
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.
Fill in the blank.