Os direitos humanos no pensamento Islâmico I

01:30 - 2022/05/16

-De acordo com os ensinamentos islâmicos, o direito de legalizar os direitos humanos corresponde somente a Deus. Deus todo-poderoso, por meio de seus enviados e inspiração das Escrituras celestial tem determinado esses padrões para as pessoas. Desde o primeiro dia em que foi criado os seres humanos, Deus disse nos livros celestes para guiar o homem. Nestes livros mostram de onde viemos e para onde estamos indo e como fazer para seguir o caminho certo para chegar a Deus.

Os direitos humanos no pensamento Islâmico I

O Alcorão Sagrado, a última e mais completa escritura celestial, na verdade, é um reservatório de confiança que Deus colocou entre os homens para agir de acordo com seus ensinamentos, a criação encontra seu sentido e interpretar. Deus prometeu aos crentes que se eles seguirem os ensinamentos da Escritura, serão superior a tudo o que está sobre à terra e os céus, mas se deixar outras criaturas serão maiores.

No Alcorão Sagrado, o versículo 72 do capítulo 33, que diz:

"Por certo que apresentamos a custódia aos céus, à terra e às montanhas, que se negaram e temeram recebê-la; porém, o homem se encarregou disso, mas provou ser injusto e insipiente."[1]

O Alcorão Sagrado dividiu a família mundial em três partes. Os três membros desta família são muçulmanos, devotos não-muçulmanos e ateus. A família global tem três membros e o Alcorão Sagrado tem uma mensagem especial para eles e também considerada a ter direitos especiais. Na era da designação do Profeta, Deus tem colocado dois princípios, que possam gerir os negócios da família mundial.

O primeiro princípio é encontrado no versículo 64 do capítulo 3 que diz:

"Dize-lhes: Ó adeptos do Livro, vinde, para chegarmos a um termo comum, entre nós e vós: Comprometamo-nos, formalmente, a não adorar senão a Deus, a não Lhe atribuir parceiros e a não nos tomarmos uns aos outros por senhores, em vez de Deus. Porém, caso se recusem, dize-lhes: Testemunhais que somos muçulmanos."[2]

Uma parte deste versículo é o princípio comum entre todos os devotos e em outros lugares é o princípio comum entre todos os seres humanos. Embora a aparência dos versículos, são preocupantes aos homens que não adoram a ninguém, mas Deus, mas todos os homens, inclusive, os ateus não tomaram qualquer um entre eles como Deus, mas convidaram todos os humanos inclusive os maus e não escolheram outra pessoa como seu governante.

No segundo princípio do Alcorão, o capítulo 60, o versículo 8 é ordenado aos muçulmanos:

"Deus nada vos proíbe, quanto àquelas que não nos combateram pela causa da religião e não vos expulsaram dos vossos lares, nem que lideis com eles com gentileza e eqüidade, porque Deus aprecia os eqüitativos."[3]

Principalmente a ordem fundamental do Islã é que os muçulmanos devem respeitar a família mundial e não aceitar pessoas que continuaram politicamente e socialmente. No entanto, no campo do comportamento político, os muçulmanos também entendeu que eles nunca devem quebrar suas promessas enquanto o outro lado é ainda leal ao acordo.

Deus no versículo 7 do capítulo 9 sobre este assunto, diz:

"Como podem os idólatras fazer um tratado com Deus e Seu Mensageiro - Exceto aqueles com os quais tenhas feito um tratado, junto à Sagrada Mesquita? Sê verdadeiro com eles, tanto quanto forem verdadeiros para contigo, pois, Deus estima os tementes."[4]

Além disso, o Alcorão Sagrado no versículo 83 do capítulo 2 diz:

"E de quando exigimos o compromisso dos israelitas, ordenando-lhes: Não adoreis senão a Deus; tratai com benevolência vossos pais e parentes, os órfãos e os necessitados; falai ao próximo com doçura; observai a oração e pagai o zakat. Porém, vós renegastes desdenhosamente, salvo um pequeno número entre vós."[5]

 

 

[1] إِنَّا عَرَضۡنَا ٱلۡأَمَانَةَ عَلَى ٱلسَّمَٰوَٰتِ وَٱلۡأَرۡضِ وَٱلۡجِبَالِ فَأَبَيۡنَ أَن يَحۡمِلۡنَهَا وَأَشۡفَقۡنَ مِنۡهَا وَحَمَلَهَا ٱلۡإِنسَٰنُۖ إِنَّهُۥ كَانَ ظَلُومٗا جَهُولٗ

[2] قُلۡ يَـٰٓأَهۡلَ ٱلۡكِتَٰبِ تَعَالَوۡاْ إِلَىٰ كَلِمَةٖ سَوَآءِۭ بَيۡنَنَا وَبَيۡنَكُمۡ أَلَّا نَعۡبُدَ إِلَّا ٱللَّهَ وَلَا نُشۡرِكَ بِهِۦ شَيۡـٔٗا وَلَا يَتَّخِذَ بَعۡضُنَا بَعۡضًا أَرۡبَابٗا مِّن دُونِ ٱللَّهِۚ فَإِن تَوَلَّوۡاْ فَقُولُواْ ٱشۡهَدُواْ بِأَنَّا مُسۡلِمُونَ

[3] لَّا يَنۡهَىٰكُمُ ٱللَّهُ عَنِ ٱلَّذِينَ لَمۡ يُقَٰتِلُوكُمۡ فِي ٱلدِّينِ وَلَمۡ يُخۡرِجُوكُم مِّن دِيَٰرِكُمۡ أَن تَبَرُّوهُمۡ وَتُقۡسِطُوٓاْ إِلَيۡهِمۡۚ إِنَّ ٱللَّهَ يُحِبُّ ٱلۡمُقۡسِطِينَ

[4] كَيۡفَ يَكُونُ لِلۡمُشۡرِكِينَ عَهۡدٌ عِندَ ٱللَّهِ وَعِندَ رَسُولِهِۦٓ إِلَّا ٱلَّذِينَ عَٰهَدتُّمۡ عِندَ ٱلۡمَسۡجِدِ ٱلۡحَرَامِۖ فَمَا ٱسۡتَقَٰمُواْ لَكُمۡ فَٱسۡتَقِيمُواْ لَهُمۡۚ إِنَّ ٱللَّهَ يُحِبُّ ٱلۡمُتَّقِينَ

[5] وَإِذۡ أَخَذۡنَا مِيثَٰقَ بَنِيٓ إِسۡرَـٰٓءِيلَ لَا تَعۡبُدُونَ إِلَّا ٱللَّهَ وَبِٱلۡوَٰلِدَيۡنِ إِحۡسَانٗا وَذِي ٱلۡقُرۡبَىٰ وَٱلۡيَتَٰمَىٰ وَٱلۡمَسَٰكِينِ وَقُولُواْ لِلنَّاسِ حُسۡنٗا وَأَقِيمُواْ ٱلصَّلَوٰةَ وَءَاتُواْ ٱلزَّكَوٰةَ ثُمَّ تَوَلَّيۡتُمۡ إِلَّا قَلِيلٗا مِّنكُمۡ وَأَنتُم مُّعۡرِضُونَ

Plain text

  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <span> <blockquote> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <br> <hr> <h1> <h2> <h3> <h4> <h5> <h6> <i> <b> <img> <del> <center> <p> <color> <dd> <style> <font> <u> <quote> <strike> <caption>
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.
Fill in the blank.