Conduta islâmica, Boas Condutas III

11:53 - 2022/08/09

Quanto às excelências de conduta do Profeta (S.A.A.S.), elas foram divulgadas em todos os idiomas da terra, e também foram comentadas com honra. Basta para isso o elogio de Deus, o Altíssimo. Ele disse: “Certamente, és de nobilíssimo caráter.” Eis algumas passagens que versam sobre isso:

Conduta islâmica, Boas Condutas III

6. A Misericórdia 

Entre as qualidades do Profeta (S.A.A.S.) está a misericórdia e a indulgência com todas as pessoas, crentes e incrédulas. A sua misericórdia abrangeu
todos os coraixitas que o afligiram com todo tipo de injúria. Quando a injúria aumentou, ele fez a seguinte prece por eles: “Ó Senhor meu, orienta o meu povo, pois eles não sabem.”[1]
Falando de si e da misericórdia que ele possuía, disse: “Sou uma misericórdia orientadora.”

Sim, ele constitui a abundância da misericórdia de Deus, exaltado seja, a Seus servos. Ele nunca pagou o mal com o mal, mas com benevolência, para arrancar dele as tendências da iniquidade e da maldade. Um dos líderes árabes zombou dele quando o viu beijar o Imam Hussein (A.S.), quando era criança. Quando foi perguntado quem era ele, ele respondeu que era o seu neto. O líder rejeitou aquilo, dizendo: “Ó Mensageiro de Deus, tenho dez filhos e nunca beijei um deles.” O Profeta (S.A.A.S.) lhe disse: “Que tenho eu com isso se Deus, exaltado seja, arrancou a misericórdia de seu coração?”

Da sua misericórdia para com seus dois netos é que um deles subiu nas suas costas enquanto ele estava prostrado. Sentindo aquilo, ele prolongou a prostração. Quando os oradores atrás dele lhe perguntaram a respeito do prolongamento da prostração, ele lhes disse: “Meu filho montou em mim e eu não quis perturbá-lo.”

Outro exemplo é a sua misericórdia para com a sua filha, a senhora das mulheres do mundo, Fátima, a Pura (Que Deus a agracie), tornando a satisfação dela a satisfação dele, e a ira dela a ira dele. Ele a dignificava e declarava a sua honra e a sua elevada posição para ele no recinto de sua Mesquita e do alto de seu púlpito. Isso fazia parte dos sinais de sua misericórdia, que também abrangeu os animais. Ele possuía uma ovelha à qual dava de comer com as suas mãos, para orientar os muçulmanos a terem piedade dos animais. A misericórdia era sua marca, direcionada a todas as pessoas, principalmente aos crentes.

Deus, o Altíssimo, diz: “Chegou-vos um Mensageiro de vossa raça, que tem pena do vosso infortúnio, anseia por proteger-vos, e é compassivo e misericordioso para com os crentes.”[2]

O seu cuidado e a sua piedade pelo seu povo, que o desmentiu, declarou guerra contra ele e empenhou-se em matá-lo, não fez com que o amaldiçoasse. O anjo Gabriel foi ter com ele e lhe disse: Deus, o Altíssimo, ouviu o que teu povo diz a seu respeito, o que ele lhe respondeu. Ele ordenou o anjo das montanhas para que peças a ele o que quiseres. O anjo das montanhas foi também ter com ele e lhe informou o mesmo. O Mensageiro de Deus lhe disse: “Espero que surja no seio deles quem irá adorar a Deus, o Altíssimo, e não lhe atribua semelhante algum.”[3]

Que misericórdia sem limite! Deus, o Altíssimo, a declarou no Seu Livro: “E não te enviamos, senão como misericórdia para a humanidade”.[4]

Dentre sua misericórdia e piedade está o fato de levarem as crianças para ele fazer prece por elas e dar-lhes os nomes. Pegava-as e as colocava no colo. Algumas vezes a criança urinava nas suas vestes. Quando seus pais viam aquilo, ficavam apavorados. O Profeta (S.A.A.S.) lhes dizia: “Não interrompam a criança.” Então, fazia preces por ela, deixando os pais da criança felizes. Em seguida, ele se erguia e lavava as suas roupas e seu corpo31. Ele tinha muita misericórdia e piedade de seus familiares. Anas Ibn Málij,
seu servo, relatou: “Nunca vi alguém mais misericordioso pelos seus familiares do que o Mensageiro de Deus (S.A.A.S.)”.
O Profeta (S.A.A.S.) era um modelo de misericórdia para todas as pessoas, sem distinção entre seus familiares e os outros.

Livro: A conduta do Profeta Mohammad (S.A.A.S.) e seus Ahlul Bait (A.S.)
 

[1] Livro Assira Al Nabawiya, Zini Dahlan, V. 2 – P. 267

[2] Alcorão Sagrado, Surata Attauba (C. 9), Versículo 128

[3] Charh Assuna, 13/214. Ach Chafá, 1/255. Tafssir Ibn Kacir, 3/259

[4] Alcorão Sagrado, Surat Al Anbiyá (C. 21), Versículo 107

Plain text

  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <span> <blockquote> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <br> <hr> <h1> <h2> <h3> <h4> <h5> <h6> <i> <b> <img> <del> <center> <p> <color> <dd> <style> <font> <u> <quote> <strike> <caption>
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.
2 + 0 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.