O Julgamento com a Verdade do Imam Mahdi

19:30 - 2022/11/21

Shaykh Sadooq narrou em seu livro, Khisaal, do Sagrado Profeta (S) que ele disse: “Vou interceder por quatro tipos de pessoas, mesmo que venham a mim com os pecados de toda a humanidade: aquele que ajuda minha Ahlul Bayt, aquele que atende suas necessidades quando eles precisam, aquele que os ama com palavras e ações, e aquele remove sua angústia (da Ahlul Bayt) na prática.”

O Julgamento com a Verdade do Imam Mahdi

Julgamento com a Verdade de Imam Mahdi

Imam Baqir (as) disse: “O Qa’im começará sua missão na Antioquia e retirará a Torá de uma caverna na qual estão o cajado do Profeta Musa (as) e o anel do selo do Profeta Sulaiman (as). Ele disse: “E o mais afortunado em relação a ele é o povo de Kufa.” E ele disse: “O Qa’im é chamado de Mahdi porque ele guia para todos os assuntos ocultos. Tanto que ele enviará seus próprios homens para matar tal e tal pessoa, e a pessoa nem saberá por que crime está sendo morta. As pessoas terão medo de falar até mesmo em suas próprias casas, temendo que as paredes possam testemunhar contra ela.”

Existem muitos relatos tradicionais sobre este assunto. Embora este relato indique que Sua Eminência irá reaparecer na Antioquia, mas em outros relatos tradicionais que são mencionados em Biharul Anwar e em outros livros, citando o Mensageiro de Allah (S), dizem que ele reaparecerá de uma aldeia chamada ‘Kuraa’. Em algumas outras tradições, o lugar do advento de Sua Eminência é dado como Mecca, e em ainda outros relatos, Medina. A soma total de todos esses relatos aparentemente contraditórios – e que é confirmada por algumas tradições dos Imams Purificados (as) - é que: há inúmeras reaparições de Sua Eminência.

                                                                      As causas da ocultação do Imam Mahdi

                                                                                                      O Imam Mahdi nas narrações islâmicas I

Parentesco de Imam Mahdi com o Santo Profeta (S)

É necessário orar por Sua Eminência porque tal súplica vem do amor e da consideração, e o Todo-Poderoso .Allah diz: “Diga: Eu não peço a você nenhuma recompensa por isso, mas amor por meus parentes próximos.”

Também Shaykh Sadooq narrou em seu livro, Khisaal, do Sagrado Profeta (S) que ele disse: “Vou interceder por quatro tipos de pessoas, mesmo que venham a mim com os pecados de toda a humanidade: aquele que ajuda minha Ahlul Bayt, aquele que atende suas necessidades quando eles precisam, aquele que os ama com palavras e ações, e aquele remove sua angústia (da Ahlul Bayt) na prática.”

Aqui adicionaremos mais algumas tradições:
Entre todos os livros, o livro Ghayat al-Maraam cita o Sagrado Profeta (S) dizendo: “Fico feliz por ter notícias de que o Mahdi reaparecerá em minha Ummah quando houver conflito entre as pessoas e terremotos. Então ele encherá a terra com justiça e equidade, assim como esteve repleta de injustiça e opressão. Os habitantes dos céus e da terra estarão satisfeitos com ele.”

Em outra tradição é narrado de Sua Eminência (S) que ele disse: “Se somente uma noite restar para o mundo, o Deus Todo-Poderoso prolongará essa noite até que um homem de meu Ahlul Bayt governe sobre a terra. O nome dele será igual ao meu e o nome de seu pai será como o nome de meu pai. Ele encherá a terra com equidade e justiça, assim como esteve repleta de injustiça e tirania.”

Aqui está claramente afirmado que o nome do pai daquele divino reformador (aj) é o mesmo que o nome do pai do Sagrado Profeta (S). Mas não está isso em contradição com o fato de que Sua Eminência, o Qa’im (aj), é filho do Imam Hasan Askari (as)? Em resposta a esta dúvida, Muhammad bin Talha Shafei - um proeminente estudioso sunita disse:

1. Abu Dawud e Tirmidhi, que citaram esta tradição, não incluíram estas palavras adicionais em suas respectivas coleções.

2. Mesmo se supormos que essas palavras não foram adicionadas, há probabilidade de que a palavra ‘Abni’ (meu filho) foi alterada por engano para ‘Abi’ (meu pai), pois há muitos exemplos de casos não intencionais de alterações.

3. Mesmo se supormos que as palavras são exatamente como faladas pelo Sagrado Profeta (S), talvez o Profeta tenha mencionado Kunniyat como sobrenome, e em vez do avô; ele disse pai. Desta forma, a palavra “seu pai” implicaria o Imam Husain (as), cujo Kunniyat era Abu Abdillah e essas duas semelhanças são aceitáveis, ​​e não incomuns, são parte da linguagem comum.

Eu digo: Não dependemos dessa tradição para provar que Hazrat Hujjat Ibnul Hasan (as) é o Qa’im. Contamos com numerosas tradições Mutawatir que afirmam claramente este ponto. Algumas das quais, já foram mencionadas, e nós apenas citamos a tradição acima, juntamente com a explicação do famoso estudioso, para que se alguém se deparar com esta tradição não caia em qualquer dúvida. Ele deve saber que é o hábito de alguns narradores fazer acréscimos por si mesmos. Especialmente no que diz respeito a este relato, estudiosos apontaram que um de seus narradores é habitual em fazer acréscimos. E eles estão certos do fato de que o Qa’im é Hujjat Ibnul Hasan al-Askari (as). E louvado seja Deus.

Shaykh Sadooq (ra) narrou através de sua própria cadeia de narradores, no livro Kamaluddin, de Sayyid Himyari, que: “No começo eu costumava abrigar crenças extremistas e tinha fé na ocultação de Muhammad bin Ali Ibne Hanafiyyah, e um longo período se passou dessa forma; em desvio e má orientação. Depois disso, o Deus Todo-Poderoso me favoreceu por meio de Ja'far bin Muhammad Sadiq (as), e salvou-me do fogo do Inferno, e me guiou para o caminho certo. Então, eu perguntei ao Santo Imam (as) um dia: “Eu encontro em você os sinais e qualidades pelos quais fica provado para mim e para todas as pessoas do seu tempo que você é a Prova de Allah, e que somente você é o Imam cuja obediência Allah tornou obrigatória, e que seguir é incumbido a todos. Ó, filho do Mensageiro de Allah, tradições foram registradas de seus ancestrais purificados sobre a ocultação, afirmando que é certo que acontecerá, então, por favor, diga-nos com quem isso ocorrerá?” Ele respondeu: “Na verdade, essa ocultação acontecerá com meu sexto descendente, o décimo segundo dos Imams após o Mensageiro de Allah (S); o primeiro dos quais é Amirul Momineen Ali (as), e o último é o Qa’im bil Haqq (aquele que se levantará com a verdade). Ele será o remanescente de Allah em Sua terra, e o Mestre da Última Era. Por Allah, mesmo que sua ocultação seja tão longa quanto a idade de Nuh (as), o mundo não acabará sem surja e encha a terra com justiça e equidade, assim como esteve repleta de injustiça e opressão.” O Sayyid diz: “Quando ouvi isso de meu mestre, Ja'far bin Muhammad as-Sadiq (as), eu me arrependi a Allah em sua presença, e compus uma homenagem que começou da seguinte forma”:

“Quando vi que as pessoas se desviaram da religião, tornei-me um Ja'fari com outros Ja'faris em nome de Allah.Eu chamei com o nome de Allah e apenas Allah é o Maior. E tive a certeza de que Ele é o perdoador, o tolerante.E eu adotei a religião de Allah ao invés daquela que eu havia feito minha religião.”

“Suponha que eu fosse um judeu, ou que minha fé fosse a fé daqueles que são cristãos.Mas não, sou daqueles que se arrependem ao Beneficente... Eu certamente aceitei o Islam e Allah é o melhor.E não terei crenças extremistas (num falso Mahdi) enquanto viver, nem voltarei aoque eu costumava seguir. Pois ele, (Muhammad bin Hanafiyyah) morreu na melhor das condições, e era dos que são puros e castos, na companhia dos descendentes puros do Mustafa (S).”

Ele também compôs a seguinte homenagem:

“Ó, cavaleiro que marcha valentemente em direção a Medina, que está cruzando os desertos como um leão.Quando Allah o orientar e você encontrar Ja'far, então você dirá a este amigo de Allah e filho do Profeta:Ó, filho do fiel de Allah, eu peço perdão ao seu Senhor benévolo.”

“Devo lutar como um guerreiro sagrado contra a ignorância. Saiba que meu passado sobre o filho de Khawla não foi baseado em inimizade para com a progênie pura e casta. E agora, mesmo que ao mestre desse assunto deva permanecer em ocultação; se escondendo como quem tem medo; suas propriedades serão distribuídas de tal forma como se ele estivesse morto e enterrado na terra. Ele permanecerá assim por um longo tempo, e então reaparecerá como uma estrela cadente que surge no horizonte.

Com a ajuda e assistência de Allah, ele partirá da Casa de seu Senhor. E com liderança e comando dado por Ele, ele se moverá carregando seu estandarte em direção a seus inimigos. Então ele os matará assim como cavalos incontroláveis ​​e furiosos matam.”

“Que o mestre desse assunto, o Qa’im, por quem meu coração vive ansioso em ver, estará numa ocultação que será necessária. E Allah concederá Sua misericórdia a ele em sua ocultação. Em seguida, ao ressurgir, ele governará sobre o leste e oeste. E eu tenho fé nele, quer ele seja visto ou esteja escondido. E mesmo se eu for ridicularizado por isso, não me preocupo.”

Em Biharul Anwar, é citado do Manaqib de Dawud Riqqi que: “Notícias chegaram a Sayyid Himyari de que ele foi mencionado na presença do Imam Sadiq (as) e que Sua Eminência disse: “Sayyid é um descrente.” Sayyid Himyari foi até Sua Eminência e perguntou muito educadamente, “Ó meu mestre, apesar do profundo amor que tenho por você e da inimizade que tenho por seus inimigos ainda assim sou um descrente?” Imam respondeu: “Qual é a utilidade de crer em tudo mais quando você nega o Hujjat da Última Era?” Então ele pegou sua mão e o levou a uma sala onde havia um túmulo. Então Sua Eminência rezou dois rakats de oração. Depois disso, ele bateu com a mão no túmulo, que se abriu, e um homem emergiu dele sacudindo a poeira de sua cabeça e barba. Imam Sadiq (as) perguntou a ele: “Quem é você?” Ele respondeu: “Eu sou Muhammad bin Ali, nomeado como Ibne Hanafiyyah.” O Imam então perguntou: “Quem sou eu?” “Ja'far bin Muhammad, Hujjat de sua Era.” Sayyid Himyari saiu da presença de Sua Eminência recitando as seguintes frases: “Eu me tornei um Ja'fari em nome de Allah, eu me juntei ao grupo dos Ja'faris.” 

Também é narrado de Ibad bin Saheeb que ele disse: “Eu estava na presença de Ja'far bin Muhammad Sadiq (as) quando a notícia da morte de Sayyid Himyari foi comunicada a Sua Eminência. Ele orou por ele e invocou a misericórdia divina em seu favor. Uma pessoa perguntou o Imam educadamente, “Ó filho do Mensageiro de Allah! Apesar do fato de que ele bebia avinho e acreditava em ressureição (Raja't)?” O Imam respondeu: “Meu pai narrou de meu avô uma tradição de que os seguidores da progênie de Muhammad não morrem sem se arrepender. Dizendo isso, ele levantou seu tapete de oração e tirou dali uma carta de Sayyid, na qual ele se arrependia e pedia por Dua (para que o Imam invocasse a Deus que o perdoasse).”

Plain text

  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <span> <blockquote> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <br> <hr> <h1> <h2> <h3> <h4> <h5> <h6> <i> <b> <img> <del> <center> <p> <color> <dd> <style> <font> <u> <quote> <strike> <caption>
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.
5 + 13 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.