A história de Moisés II

19:30 - 2022/12/11

O Faraó estava indignado com Mussa por seus pontos de vista monoteístas. Ele havia ordenado que seus espiões vigiassem o comportamento de Mussa. Mussa pensou que o Faraó tomaria o assassinato de um egípcio como um pretexto para castigar duramente os filhos de Israel. Achou que o Faraó incitaria a maldade dos egípcios contra ele e os filhos de Israel. Não havia ninguém ali que soubesse o que tinha acontecido.

MOISÉS

A Luta contra a Opressão

Mussa não permaneceu indiferente ao que estava acontecendo. Ao contrário, ele não poupava esforços para proteger os oprimidos do Faraó. Por isso, às vezes ele saía do palácio do faraó e ia à cidade para enfrentar aqueles que praticavam a opressão. Quando ele entrava na cidade via alguns egípcios carregando chicotes. Os via fustigando os filhos oprimidos de Ya’qub com seus chicotes sem nenhuma razão. Mussa então se apressava a ajudar os oprimidos. Severamente castigava os opressores, assim, estes fugiam dele. Um dia, Mussa saiu do palácio, que era à norte da cidade de Mumfis. Ao meio-dia, ele entrou na cidade. As pessoas estavam retornando para suas casas. Não havia nenhuma atividade na cidade. As ruas e os becos estavam vazios. Mussa viu dois homens brigando. Um era egípcio e o outro era um dos israelitas. O egípcio estava chicoteando o israelita. Este, pedia ajuda. Mussa correu para socorrê-lo. Mussa era um homem forte. Deus tinha dado a ele um corpo musculoso. Mussa segurou o egípcio e o arrastou. Porém, o egípcio queria continuar sua agressão. Mussa golpeou-o violentamente e ele caiu morto no chão. Mussa percebeu que tinha cometido um pecado mortal. Sentiu que não era seu direito fazer aquilo.

O Faraó estava indignado com Mussa por seus pontos de vista monoteístas. Ele havia ordenado que seus espiões vigiassem o comportamento de Mussa. Mussa pensou que o Faraó tomaria o assassinato de um egípcio como um pretexto para castigar duramente os filhos de Israel. Achou que o Faraó incitaria a maldade dos egípcios contra ele e os filhos de Israel. Não havia ninguém ali que soubesse o que tinha acontecido. Por isso Mussa desapareceu. A polícia procurava pelo assassino. Mussa não retornou ao palácio do Faraó. Temia a severa punição do Faraó, portanto, passou a noite na cidade. Algo inesperado aconteceu. Mussa viu o mesmo israelita discutindo com outro egípcio. O israelita pediu ajuda a ele. Mussa estava aflito com o que tinha acontecido antes., entretanto, se apressou a ajudar o oprimido. Caminhou na direção deles. Se dirigindo para o israelita, disse : “Em verdade, estás num erro manifesto” Tu sempre discutes com as pessoas! Isto não está certo !” O israelita pensou que Mussa o mataria. Por isso ele gritou, dizendo: “Mussa, não queres matar-me como mataste um homem ontem? Certamente queres ser um tirano na terra, não queres ser um dos que agem com retidão.” As pessoas ouviram aquilo, então entenderam que Mussa era um assassino. Assim, os espiões correram ao Faraó para informá-lo disso.

Plain text

  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <span> <blockquote> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <br> <hr> <h1> <h2> <h3> <h4> <h5> <h6> <i> <b> <img> <del> <center> <p> <color> <dd> <style> <font> <u> <quote> <strike> <caption>
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.
4 + 4 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.