A estrada para a Luz, versículos 57-61 do capítulo de Báqara

10:00 - 2022/01/26

O Alcorão é o eterno milagre. É o último livro de Deus enviado para orientação da humanidade, por intermédio do último Profeta, Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele). O Alcorão está dividido em 114 capítulos, de tamanhos variados, a mais longa é a Báqara, (a Vaca), que consiste de 286 versículos, e o mais curta é Al-Cauçar, (a Abundância), de apenas três versículos. Todo o Alcorão contém 6,666 versículos, com 323 671 letras. Os capítulos revelados antes da migração do Profeta para Medina são chamados de Meca, e os revelados após a migração, de Medina.

A estrada para a Luz, versículos 57-61 do capítulo de Báqara

 

Os filhos de Israel, embora Deus concedesse muitos benefícios e bênçãos a esta tribo, eles eram uma das tribos mais teimosas.
Os versículos 57 a 62 do surata de Báqara referem-se a outros casos de bênçãos divinas e teimosia dos Israelitas.
Desde logo vocês saibam que os relatos do Alcorão não são apenas a definição de histórias, mas são realidades da vida humana, de modo que eles são verdadeiros, bem como de belas e os prudentes podem aproveitá-las.
Agora vamos ouvir os versículos 57, 58, do capítulo de Báqara:

وظللنا عليكم الغمام وأنزلنا عليكم المن والسلوى كلوا من طيبات ما رزقناكم وما ظلمونا ولكن كانوا أنفسهم يظلمون
E vos agraciamos, com as sombras das nuvens e vos enviamos o maná e as codornizes, dizendo-vos: comei de todas as coisas boas com que vos agraciamos! (Porém, o desagradeceram) e, com isso, não Nós prejudicaram, mas prejudicaram a si mesmos. (Bácara: 57).

وإذ قلنا ادخلوا هذه القرية فكلوا منها حيث شئتم رغدا وادخلوا الباب سجدا وقولوا حطة نغفر لكم خطاياكم وسنزيد المحسنين
E quando vos dissemos: entrai nessa cidade (21) e comei com prodigalidade do que vos aprouver, mas entrai pela porta, prostrando-vos, e dizei: remissão! Então, perdoaremos as vossas faltas e aumentaremos a recompensa dos benfeitores. (Báqara: 58)

Depois que Deus salvou os filhos de Israel das garras de Faraó pediu-lhes para ir à Palestina, mas sob pretexto de que opressores governavam, evitaram de ir, por isso, a ira divina abraçou-os e permaneceram por 40 anos confusos no deserto de Sinai. Durante este tempo, um grupo de israelitas se arrependeram e Deus novamente enviou para eles a sua bondade.
Os versículos recitados definem casos destes benefícios, mesmo naquele deserto ardente que fez nublado e disponibilizou alimentos e descer o maná e codornizes e novamente depois de 40 anos, Deus ordenou que os israelitas entrassem em Beit al Mogadas, (Jerusalém) curvando-se e pediram perdão.

O versículo adverte que, neste caso, Deus perdoa-lhes e aceito o seu arrependimento, os versículos também chamar a atenção que o homem para suprir suas necessidades não deve usar puros benefícios ilícitos que contamina a sua natureza divina pura e não denegrir a sua alma.
 

فبدل الذين ظلموا قولا غير الذي قيل لهم فأنزلنا على الذين ظلموا رجزا من السماء بما كانوا يفسقون
Os iníquos permutaram as palavras por outras que não lhe haviam sido ditas, pelo que enviamos sobre eles um castigo do céu, por sua depravação. (Bácara: 59)

وإذ استسقى موسى لقومه فقلنا اضرب بعصاك الحجر فانفجرت منه اثنتا عشرة عينا قد علم كل أناس مشربهم كلوا واشربوا من رزق الله ولا تعثوا في الأرض مفسدين
E de quando Moisés Nós implorou água para o seu povo, e lhe dissemos: golpeia a rocha com o teu cajado! E de pronto brotaram dela doze mananciais, e cada grupo reconheceu o seu. Assim, comei e bebei da graça de Allah, e não cismeis na terra, causando corrupção.”(Báqara: 60).

Essas revelações também destacam a importância de arrendamento e de perdão e de suas condições, o Criador da existência aceita o arrependimento dos seus servos, mas isso requer a rendição e sinceridade interior e pedindo perdão.
Por outro lado, esses versículos nos ensinam que devemos ser dedicado à oração e fazer as instruções de Deus como ele nos ensinou, porque caso contrário nós não rezamos, é um tipo de inimizade e desobediência.

A seguir os versículos se referem ao conhecimento do profeta Moisés para satisfazer as necessidades materiais da sua tribo. Apesar de que o profeta foi responsável para liderar sua tribo, no entanto, ele trabalhava para fornecer a sua bem-estar. O profeta Moisés por ordem divina desta vez bateu na rocha com seu bastão para ajudar a sua tribo e doze mandamentos brotaram a partir dele, os filhos de Israel que eram 12 tribos e grupos usaram por essas fontes. Deus no final deste versículo diz:
Comem e bebem do sustento de Deus e não cometem abusos na Terra, espalhando corrupção.

Este ponto é muito deliberativo para o homem da nossa idade, a pessoa de hoje vive em condições que se dispõem muitas bondades dignas e divinas, a bela natureza, o céu azul e as fontes da natureza em seus arredores têm mostrado belezas surpreendentes, mas ele ignorantemente trabalha mal na terra, corrompendo e inconscientemente comete ignorância das tribos antigas, também é ganancioso a esses benefícios e graças a Deus e esta onda se espalhou injustiça na terra.
Neste sentido, convidamos você para ouvir a tradução do versículo 61 do surata de Báqara observar de onde chegar o moral do homem rebelde:

وإذ قلتم يا موسى لن نصبر على طعام واحد فادع لنا ربك يخرج لنا مما تنبت الأرض من بقلها وقثائها وفومها وعدسها وبصلها قال أتستبدلون الذي هو أدنى بالذي هو خير اهبطوا مصرا فإن لكم ما سألتم وضربت عليهم الذلة والمسكنة وباءوا بغضب من الله ذلك بأنهم كانوا يكفرون بآيات الله ويقتلون النبيين بغير الحق ذلك بما عصوا وكانوا يعتدون

E de quando dissestes: Ó Moisés, jamais nos conformaremos com um só tipo de alimento! Roga ao teu Senhor que nos proporcione tudo quanto à terra produz: suas hortaliças, seus pepinos, seus alhos, suas lentilhas e suas cebolas! Perguntou-lhes: quereis trocar o melhor pelo pior? Pois, bem: voltai para o Egito, onde terei que implorais! E foram condenados à humilhação e à indigência, e incorreram na abominação de Allah; isso, porque negaram os versículos de Allah e assassinaram injustamente os profetas. E também porque se rebelaram e foram agressores. (Báqara: 61)

Este versículo põe em evidência que a ganância e o egoísmo corrupto a honra e a virtude do homem e, em vez deles, a humilhação destina ao homem que estar preparado para não ignorar a religião divina, a fim de alcançar as humilhantes intenções materiais, estes mesmo pecados e desobediências contínuas conduzem o homem para o ateísmo, a falta de fé e crer que a agressão e hostilidade como são quando o filho de Israel não aceitou qualquer palavra certa, então contaminar suas mãos com sangue dos homens mais puros, ou seja, dos profetas.
A desatenção da tribo judaica de normas divinas, sua crueldade e devastação motivam sua humilhação e queda, tal como observamos esses recursos, todavia existe neles.
 

 

Fonte : Pars Today

Plain text

  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <span> <blockquote> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <br> <hr> <h1> <h2> <h3> <h4> <h5> <h6> <i> <b> <img> <del> <center> <p> <color> <dd> <style> <font> <u> <quote> <strike> <caption>
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.
Fill in the blank.