Nahjul Balagha Sermão nº 192 (II)

12:45 - 2021/11/04

-A clássica seleção de sermões, cartas e ditos do Imam Ali ibn abi Taleb (que a paz esteja com ele), o Príncipe dos Fiéis, compilada pelo grande sábio Sharif al-Radhi. Esta obra é a segunda mais importante na literatura ética-moral islâmica, ficando atrás apenas do Alcorão Sagrado, e é um retrato fiel do caráter, eloquência e grandiosidade do Imam Ali (que a paz esteja com ele).

Nahjul Balagha Sermão nº 192 (II)

Prevenção contra a rebelião e a opressão
Temei a Deu quanto a imediata consequência da rebeldia e a eventual consequência da intensa oposição e ao mal resultante da vaidade, porque constitui uma grande armadilha de satanás e o seu grande engodo, que adentra os corações como veneno letal. Este nunca é desperdiçado e jamais deixa de atingir alguém, nem o erudito com seus conhecimentos, nem ao mendigo com seus trapos. Esta é a coisa contra a qual Deus tem protegido as suas criaturas que são crentes por meio da concessão do zakat, que sofrem as agruras do jejum nos dias obrigatórios, com o fito de dar descanso ao organismo, para por temor em seus olhos, tornarem seus espíritos humildes, darem aos seus corações a abnegação e retirarem deles a altivez. Tudo isso é obtido através do suor dos seus rostos delicados, cheios de poeira, em humildade, prostrando seus membros no solo em abnegação, da contração de seus ventres, como se estivessem nas costas por causa do jejum e da sua humilhação (perante Deus), além de terem dado todas as espécies de produtos da terá para os pobres e necessitados, como caridade."
As virtudes da prática das obrigações
Vede o que há nessa ação de se refrear o aparecimento do orgulho e a supressão dos traços da vaidade. Eu lanço meu olhar e noto que ninguém no mundo, a não ser vós, sente vaidade sem uma causa que interesse ao ignorante ou uma razão que se apegue as mentes dos tolos, porque vos sentis vaidosos por algo para o qual razão plausível alguma há, tampouco qualquer fundamento. Quanto a Satã, sentiu orgulho ao se deparar com adão, por causa da sua origem e escarneceu dele quanto a sua, porquanto disse: "Eu sou (feito) de fog e tu és (feito) de barro!"
A vaidade dos ricos
Da mesma maneira, os ricos, entre as prósperas comunidades têm estado a sentir-se vaidosos por causa das suas riquezas, já que disseram:
"POSSUÍMOS MAIS RIQUEZAS E FILHOS DO QUE VÓS E JAMAIS SEREMOS CASTIGADOS (34:35). "No caso de não poderdes evitar a vaidade, sta deverá ser quanto as boas qualidades, aos atos dignos de louvor e as questões admiráveis com as quais os nobres chefes das famílias árabes se distinguiram, tais como as maneiras atraentes, o pensar altruísta, a posição respeitável e as boas realizações. Vós também podereis mostrar vaidade com hábitos dignos de louvor, com a proteção ao vizinho, o cumprimento dos acordos, a obediência aos virtuosos, a oposição a altivez, a generosidade aos demais, a abstenção da rebeldia, o manter distância do derramamento de sangue, o fazer justiça as pessoas, o suprimir a ira, o evitar as corrupções na terra.
Devereis ainda temer as calamidades que se abateram sobre os povos que existiram antes de vós, em razão dos seus feitos malignos das suas detestáveis ações. Lembrai-vos, sob boas ou más circunstâncias, do que aconteceu a eles e sede cautelosos para não serdes iguais a elas.
Após haverdes meditado sobre essas condições, apegai-vos a tudo que fez com que essas posições se tornassem honoráveis, em virtude do que os inimigos ficaram longe delas, através do que a segurança espalhou-se sobre elas, em razão do que a riqueza se curvou perante elas e o vínculo dessas posições a distinção. Essas coisas causaram a abstenção a divisão, o apego a unidade, o chamamento e o conselho para a unidade.
Devereis evitar tudo aquilo que lhes quebrava a espinha e lhes enfraquecia, tais como a malícia nos corações, o ódio nos peitos, o afastamento (uns dos outros) e o cruzamento dos braços quanto a assistência mútua. Pensai nas condições dos indivíduos, dentre os crentes, que se foram antes de vós. Por quantos dissabores e provações passaram! Acaso não foram eles os mais sobrecarregados dentre todos os povos, nas mais extenuantes circunstâncias, em todo o mundo?
Os faraós os tornaram escravos. Lhes infligiram as piores torturas e os mais amargos sofrimentos. Permaneceram num estado de ruinosa desgraça e de severa subjugação. Não encontrara meio algum de escape ou de proteção. Até que Deus notou que estavam sofrendo resignadamente as agruras, por amor a ELE, e suportando os dissabores por temor a ELE e então proporcionou uma saída do sofrimento e da provação. De modo que lhes mudou a desgraça para a honra e o medo para a segurança. Em consequência, tornaram-se reis governantes e líderes conspícuos, sendo que os favores de Deus para com eles atingiram limites além de seus próprios desejos.
Vede, como estavam quando seus grupos eram unidos, seus pontos de vista eram unânimes, seus corações moderados, suas mãos costumavam ajudar-se umas as outras, seus olhos eram aguçados e sua mira era a mesma? Acaso não se tornaram os donos dos quadrantes da terra e governantes sobre a espinha dorsal do mundo? Depois disso, vede também o que lhes aconteceu, quando a divisão se apossou deles, a unidade se dispersou, as diferenças se elevaram entre suas palavras e corações. Dividiram — se em vários grupos e se viram separados, combatendo uns aos outros. Então Deus tirou deles a roupagem da sua honra e os privou da prosperidade produzida por seus favores. Apenas permaneceram as suas histórias entre vós, para a diretriz daqueles que queiram meditar sobre isso.
Lições dos povos anteriores
Devereis tirar lição do destino da prole de Ismael (as), dos filhos de Isaac(as) e dos filhos de Israel. Quão semelhantes são os seus assuntos e quão afins são seus exemplos!
Com respeito aos detalhes da sua divisão e desunião, pensai sobre os dias em que os governantes da Pérsia e os monarcas de Roma tornaram-se seus donos. Estes os tiraram das pastagens da área dos rios do Iraque e da fertilidade do mundo(levando-os) para as florestas espinhosas, para as passagens dos ventos e para as agruras da subsistência.
Desta maneira aqueles os transformaram em ternos camelos. Suas casas eram as piores do mundo e os seus lugares de estada eram os mais atingidos pela seca. Não havia uma única voz para a qual pudessem recorrer por proteção, tampouco sombra de afeição que pudessem depositar confiança. Sua condição era repleta de adversidades. Suas mãos estavam espalhadas. Sua maioria estava dividida. Encontravam-se em grande angústia sob camadas de ignorância. Enterravam vivas as suas filhas, adoravam ídolos, desconsideravam o parentesco e praticavam roubo.
A dádiva do Mensageiro de Deus
Agora atentai para os vários favores de Deus para com eles, o fato de que Deus lhes instituiu um profeta que lhes fez jurar obediência e fez com que se unissem ao seu chamado. (Olhai) como as bênçãos abriram suas asas de favores sobre eles, fizeram correr para eles os rios da graça, sendo que toda a comunidade viu-se envolta naquela grande e benfazeja prosperidade. Por conseguinte, ficaram submersos nas benesses daquilo e desfrutaram de vida exuberante. Seus negócios assentaram-se sob a proteção de um governante poderoso e as circunstâncias lhes ofereciam honra transbordante, sendo que todas as coisas se tornaram fáceis para eles, sob os auspícios de uma nação forte. Tornaram-se governantes em todo o mundo e reis, nas (várias) partes do mundo. Tornaram-se senhores daqueles que anteriormente haviam sido seus senhores e começaram a exercer comando sobre aqueles que antes os comandavam. Ficaram tão fortes que as suas lanças precisavam de teste, nem suas armas apresentavam falhas.
Condenação dos rebeldes
Cuidado! Lavastes as mãos quanto a corrente da obediência e rompestes (o que havia de) divino em torno de vós por meio de recorrerdes as normas pré-islâmicas. Em verdade, constitui uma grande benção de Deus o fato de que ELE tenha instituído entre vós a unidade através do cordel da afeição, sob cuja sombra caminhais e vos abrigais. Isto é uma benção cujo valor ninguém no mundo pode avaliar, porque é mais valiosa do que qualquer preço e mais elevada do que qualquer riqueza.
Devereis saber que mais uma vez retornastes a posição dos beduínos e vos tornastes diferentes facções, após estardes unidos. Nada tendes do islã a não ser o nome e nada sabeis da crença, a não ser teoria.
Dizeis" fogo, mas não posição vergonhosa" como se atirásseis o Islã de rosto no chão a fim de o difamardes e quebrardes o juramento que Deus vos ordenou em confiança sagrada nesta terra e para a paz entre os povos. Ficais certos que se vos inclinardes a algo que não o Islã, os descrentes vos combaterão. Então não haverá Gabriel, nem Miguel, nem Muhajirin, nem Ansar que vos ajudem, mas somente o estridular das espadas até que Deus ajuste para vós os assuntos.
Em verdade há exemplos para vós da ira e do castigo de Deus, dos dias de atribulação e de acontecimentos. Portanto, ao desconsidereis as suas promessas ignorando as punições; tomando como amena a ira de Deus, não esperando a sua dureza; porque Deus não anatematizou as gerações assadas senão por causa que se furtaram de pedir aos outros que praticassem boas ações e não os impediram de praticar o mal.Fato é que Deus excomungou os tolos por cometerem pecados e os sábios por não coibirem os demais quanto aos maus atos.
Cuidado! Desfizestes a coesão do Islã, transgredistes os seus limites e destruístes os seus comandos. Acautelai-vos, pois, Deus me ordenou combater aqueles que se revoltarem, quebrarem o juramento ou criarem corrupção na terra. Com relação aos pérfidos, eu os tenho combatido; com relação aos que desviam os demais da verdade, eu tenho encetado contra eles o jihad e com relação os que se desviaram da fé, eu os tenho posto em desgraça. Quanto ao Satã do abismo (Zus Sadiya que foi morto por um raio), ele também tem algo a ver comigo; eis que o alto grito, acompanhado do bramido do seu coração e do estertor do seu peito pôde também ser ouvido. Apenas uma pequena parte dos rebeldes permaneceu. Se Deus me der mais uma chance quanto a eles eu os humilharei, menos a uns poucos esclarecidos que restam nos subúrbios das cidades.
Mesmo na minha juventude eu cheguei a rebaixar os peitos (de homens famosos) da Arábia e a romper os pontos fortes (derrotar os chefes) das tribos de Rabi'a e de Mudhar. Sabeis da minha posição de íntimo parentesco e de especial relação com o Profeta de Deus (saas). Quando eu era ainda criança, ele tomou conta de mim. Costumava me estreitar em seu peito e me deitar ao seu lado na cama, fazer o seu corpo encostar no meu e fazer-me cheirar o seu cheiro. Costumava mastigar algo e me alimentar com isso. Não encontrava mentiras em minha fala, nem fraqueza em meus atos.
Desde o tempo da sua desmama Deus colocara junto a ele um anjo para o conduzir ao longo do caminho do elevado caráter e do bom comportamento, tanto de dia como de noite, enquanto eu costumava segui-lo feito um camelinho que segue as pegadas de sua mãe.
Todos os dias ele me mostrava, na forma de exemplos, algumas das suas elevadas características ordenando-me que as seguissem. Todos os anos costumava subir em reclusão ao monte Hirá, onde eu o via, enquanto ninguém mais o via. Naqueles dias o Islã não existia em casa alguma, exceto na do Profeta de Deus (saas) e khadija, sendo que eu fui o terceiro. Eu me acostumei a observar o fulgor da divina revelação e a sentir o cheiro da profecia.
Quando a revelação desceu sobre o Profeta de Deus (saas) eu ouvi o gemido de Satã. Perguntei: " Ó Profeta de Deus, que é esse gemido? "
E ele respondeu: "É Satã, que perdeu toda esperança de ser louvado. Ó ali, v~es tudo o que vejo e ouves tudo o que eu ouço, (embora) não sejas um profeta, mas és um legatário (Imam) e certamente, estas na (senda da) virtude."
Eu estava com ele quando uma facção dos coraixitas o encontrou e disse: " Ó! Mohammad, fizeste uma grande reivindicação, coisa que nenhum dos teus antepassados nem de ninguém de tua família jamais fez. Pediremos uma coisa, que se nos deres uma demonstração, acreditaremos que és um profeta e mensageiro, se não fores capaz disso, saberemos que és um embusteiro e um mentiroso." O Profeta de Deus(saas) perguntou: " O que quereis? " e disseram: "Pede para nós que esta árvore se movimente, com suas raízes, e pare diante de ti".
O Profeta disse; "em verdade, Deus tem poder sobre todas as coisas; se ELE fizer isso para vós, então acreditareis e prestareis testemunho da verdade? Responderam:"Sim." Então ele disse: "Eu vos mostrarei tudo o que quiserdes, mas eu sei que não vos curvareis para a virtude e (sei também que ) há entre vós, aqueles que serão lançados á vala e aqueles que tomarão partidos (contra mim)." Em seguida o Profeta (saas) disse:
"Ò árvore, se crês em Deus e no dia do julgamento e sabes que eu sou o Profeta de Deus, sai com tuas raízes e posta-te perante mim com a permissão de Deus! "Por ELE (Deus) que instituiu o Profeta com a verdade, a árvore moveu-se com suas raízes e caminhou com um grande zumbido e com farfalhares como o bater das asas dos pássaros até que parou em frente ao Profeta de Deus (saas), sendo que alguns dos galhos ficaram sobre os meus ombros, eu que estava do lado direito do Profeta (saas). Quando as pessoas viram aquilo, disseram:"Agora ordena que (apenas) a metade venha a ti!" e eis que a metade avançou em sua direção, e de maneira espantosa e com um grande zumbido, quase a ponto de toca-lo. Então disseram, de modo revoltante e cheio de descrença:"Manda essa metade de volta á outra e que fique como estava antes!" O Profeta(saas) assim ordenou e a árvore o obedeceu.
Foi quando eu disse:"Ó! Profeta de Deus, eu sou o primeiro a acreditar em ti e a me conscientizar que esta árvore fez o que acabou de fazer com a ordem de Deus, como testemunha da tua profecia e para enaltecer a tua palavra! "Então todas as pessoas bradaram:"Mesmo assim é um embusteiro e um mentiroso; trata-se de uma formidável feitiçaria da qual ele é adepto. Somente um homem como este (apontando para mim) pode prestar testemunho a vós do que acabastes de ver."
Por certo, pertenço ao grupo de pessoas que não se importam com a repreensão de ninguém quanto aos assuntos concernentes a Deus.
Sua expressão é a expressão da verdade e sua fala é a fala dos virtuosos.
Permanecem sem dormir durante as noites (em devoção) e sobre os minaretes (da diretriz) durante os dias. Apegam-se com firmeza a corda do alcorão e fazem reviver as tradições de Deus e de seu Profeta.Não se gaba, nem se dão a auto-estia, não fazem apropriação indébita, nem criam dissidências. Seus corações estão no paraíso enquanto seus corpos estão ocupados com (boas) ações."

Plain text

  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <span> <blockquote> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <br> <hr> <h1> <h2> <h3> <h4> <h5> <h6> <i> <b> <img> <del> <center> <p> <color> <dd> <style> <font> <u> <quote> <strike> <caption>
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.
Fill in the blank.