O Sexo na Concepção Islâmica II

12:00 - 2022/01/25

Qual é a razão da existência do desvio no íntimo da pessoa?
Quais são os estímulos que conduzem a pessoa a fazer o mau?

A Sedução e a Prevenção

O que vamos citar não é para condenar o instinto sexual, mas uma indicação das conseqüentes de se ultrapassar os limites.
Assim, vamos analisar os estímulos nas seguintes dimensões:

2.1- Tendência para o mal:

Não há dúvida de que o ser humano nasce livre de qualquer tendência. Mas tem em si capacidades ocultas, que começam a aparecer de forma gradual. Se é orientado apenas
para a satisfação de seus desejos, é levado com ela por sua natureza e tende a se livrar de quaisquer restrições, seja em sua alimentação, na procura de sobrevivência ou na prática sexual. Ele é impulsionado a praticar todos os atos com toda a sua espontaneidade e força.

Se o sistema social circundante colocar uma barreira perante esse procedimento, o ser humano o considerará um pesado fardo sobre si. Então, não é certo descrevermos o ser humano como intrinsecamente mau, com o mal enraizado numa fase da sua vida em que ele ainda não adquiriu ciência das regras e objetivos da organização cultural. Em tal estágio de formação, ele não percebeu, ainda,as medidas do bem ou do mal, indicadas ora pela religião, ora pela experiência. O Alcorão Sagrado descreve o ser humano nesta fase de debilidade.

Diz Deus no Livro Lúcido:“Porque o homem foi criado débil” (4ª: 28). Descreveu-o, também, como ignorante, o que o torna incapaz de reconhecer objetos e interesses, o que pode levá-lo a ser injusto consigo mesmo: “Mas, provou ser injusto e insipiente.” (33:72).

O Alcorão o descreve, também, por meio das freqüentes rixas e controvérsias com as quais o homem se depara. Indica, também, a auto-estima no seguinte versículo: “porém, o homem é a coisa mais contenciosa (que existe)” (18:54).
Essas descrições, que lidam com a natureza humana e com a origem da criação, antes do estabelecimento das sociedades e da diver sidade de culturas, são descrições desprovidas do estigma e das acusações, uma vez que não se pode acusar de mal quem não conhece o mal,ainda, nem o bem.

Mais tarde, a situação muda, sendo o ser humano conduzido pelo sistema e pelas leis, que lhe impõem limites, permitindo lhe algumas coisas e proibindo outras. Aí, ele vê as normas como um obstáculo para a sua liberdade e um impedimento de sua missão. Agora, surge em si um conflito entre a os instintos e a prática organizada. Esse conflito leva, às vezes, ao aumento do desejo humano de praticar aquilo que é vedado, algo que talvez seja causado por sua natureza infantil ou pela sua tendência à discussão e à curiosidade.
Finalmente, pela sua ignorância sobre os efeitos negativos de tal e qual ato, que continuam a arrastá-lo por sua pré-disposição.xual proibido é desviante. A tendência do ser
humano para o sexo, mesmo para atender suas necessidades naturais, não lhe permite a prática do que é proibido, fundando-se a oportunidade de praticá-lo dentro de limites legais.

O Alcorão Sagrado registrou esta tendência no versículo: “Aos homens foi abrilhantado o amor à concupiscência: mulheres, filhos, entesoura mento do ouro e da prata, os cavalos de raça, o gado” (3:14). O Versículo Sagrado expressa o desejo da sexualidade como “abrilhantamento”.

É claro que este abrilhantamento pode ser conquistado com a fuga de suas garras, não se De qualquer forma, a tendência do ser humano para satisfazer, como quiser, o instinAssim, podemos concluir que uma fonte sexual não esconde, na sua essência, uma O prazer em se livrar do limite característica intrinsecamentemaléfica de e a relutância em assumir ate da tentação sexual é a tendência da pessoa sua personalidade nem uma tendência inataseu desejo em relação àquilo de que lhe foiao amor.

Pode revelar,contra a vontade do Criador porém, a sutileza do mal e a sua proximidade com a natureza controversa do ser humano, que muitas vezes quer se ver livre das restrições, enxergando as regras e normas como barreiras perante o entusiasmo com que se lança ao atendimento dos seus instintos. Por isso, pode-se dizer que o homem, em muitas quadras da sua vida, inclina-se à prática do mal, que a alma é propensa ao mal. Desde que foi indicado aos seres humanos o caminho correto e o ser humano foi convocado a assumir e cumprir a sua responsabilidade, o bem e o mal ficaram evidentes.

E a tendência para violar as restrições religiosas tornou-se desvio da senda do bem para o caminho do mal. A negligência quanto às más conseqüências desta opção, o prazer em se livrar do limite e a relutância em assumir a responsabilidade e desempenhar a sua função são uma rebelião contra a vontade e a satisfação do Criador.
Assim, o Islã registra a verdade evidente e enfatiza a sua influência sobre o desejo se verdade, se afastar. (A continuação do assunto virá na próxima edição, se Deus o permitir).

Plain text

  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <span> <blockquote> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <br> <hr> <h1> <h2> <h3> <h4> <h5> <h6> <i> <b> <img> <del> <center> <p> <color> <dd> <style> <font> <u> <quote> <strike> <caption>
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.
Fill in the blank.