Ensinamentos do Alcorão na época do imam Mahdi

14:30 - 2022/09/28

Quando Ali (as) terminou de escrevê-lo e ficou livre após sua compilação, ele o levou para o povo, dizendo: “Este é o Livro de Allah, o Poderoso e Sublime, como Allah revelou sobre Sua Eminência, Muhammad. Na verdade, eu compilei em duas tábuas.” As pessoas disseram: “Já temos uma cópia compilada conosco e não precisamos desta (sua) cópia.” Ele disse: “Por Allah, depois deste dia, vocês nunca mais a verão. Cabia a mim informar depois de tê-lo compilado, para que vocês pudessem lê-lo.”

Imam Mahdi

Ensinamentos do Alcorão coletados por Amirul Momineen (as)

Em Biharul Anwar é citado por Nomani, de Amirul Momineen Ali (as) que disse: “É como se eu pudesse ver nossos xiitas no Masjid de Kufa, em tendas armadas, ensinando ao povo o Alcorão na mesma sequência em que foi revelado.”

Também é relatado de Sua Eminência que ele disse: “É como se eu pudesse ver os não árabes em suas tendas no Masjid de Kufa, ensinando o Alcorão às pessoas na mesma sequência em que foi revelado.”

Asbagh bin Nubatah diz: Eu perguntei: “Não foi revelado assim?” O Imam respondeu: “Não, os nomes dos pais de setenta pessoas foram apagados do Alcorão. E eles deixaram o nome de Abu Lahab apenas para que pudesse ser uma repreensão ao Mensageiro de Allah (S), já que ele era o tio do Profeta.”

E é narrado de Sua Eminência, Abi Abdullah Sadiq (as) que ele disse: “É como se eu pudesse ver os xiitas segurando o Mathani (Alcorão) e ensinando-o ao povo.” 

No Irshad al-Qulub de Dailami, Sua Eminência, Abu Ja'far Baqir (as) teria declarado: “Quando nosso Qa’im surgir, tendas serão armadas para aqueles que gostariam de aprender o Alcorão assim como foi revelado por Allah, o Poderoso e Sublime. Assim, o mais difícil será para aqueles que já memorizaram, porque esta compilação é diferente.”

Em Kafi, é relatado por Salim bin Abi Salma que ele disse: “Eu ouvi um homem ler uma parte do Alcorão para Sua Eminência, Abi Abdullah Sadiq (as), de uma forma absolutamente diferente da maneira como é recitado. Portanto, Sua Eminência, Abu Abdullah (as) disse-lhe que não recitasse assim. Ele o incentivou a ler da maneira usual que as pessoas geralmente leem até o reaparecimento do Qa’im (aj). Assim, quando Sua Eminência, o Qa’im, reaparecer, ele recitará o Livro de Allah de acordo com suas regras e trará uma cópia do Alcorão com a inscrição de Ali (as). Então ele disse: “Quando Ali (as) terminou de escrevê-lo e ficou livre após sua compilação, ele o levou para o povo, dizendo: “Este é o Livro de Allah, o Poderoso e Sublime, como Allah revelou sobre Sua Eminência, Muhammad. Na verdade, eu compilei em duas tábuas.” As pessoas disseram: “Já temos uma cópia compilada conosco e não precisamos desta (sua) cópia.” Ele disse: “Por Allah, depois deste dia, vocês nunca mais a verão. Cabia a mim informar depois de tê-lo compilado, para que vocês pudessem lê-lo.” 

É mencionado em Ihtijaaj que: “Quando o Mensageiro de Allah (S) faleceu, Ali (as) recolheu o Alcorão e levou-o para o Muhajireen e Ansar (Emigrantes e Ajudantes), porque o Sagrado Profeta (S) o havia encarregado disso: Assim, quando Abu Bakr o abriu; na primeira página que ele abriu, a desgraça da comunidade foi óbvia. Umar ficou chocado e disse: ‘Ó Ali, retire-o daqui, pois não precisamos dele.’. Então a Sua Eminência, Ali (as) o recolheu e foi embora. Eles convocaram Zaid bin Thabit que era Qari (recitador) do Alcorão e Umar disse a ele: ‘Ali trouxe o Alcorão que ele escreveu, mas continha a desgraça dos Muhajireen e Ansar. Em nossa opinião devemos compilar o Alcorão omitindo as críticas aos Muhajireen e Ansar.’ Zaid concordou com isso, mas disse: ‘Se eu compilar o Alcorão de acordo com suas instruções e mais tarde Ali publicar a versão dele, seu trabalho não será desperdiçado?’

 

Umar disse: ‘Não há outra opção exceto matá-lo e nos livrarmos dele.’ Então, eles tramaram um plano para matar Sua Eminência nas mãos de Khalid bin Walid, mas o plano falhou. E quando Umar se tornou o califa, ele ordenou que Ali (as) trouxesse seu Alcorão para que pudessem alterá-lo entre eles. Ele disse a Sua Eminência: ‘O Abal Hasan! O Alcorão que você trouxe para Abu Bakr era muito bom. Traga-o novamente para que possamos alcançar um consenso sobre isso.’

Ali (as) disse: ‘Infelizmente, isso não é possível! Naquela época, eu o trouxe para vocês, para exaurir a discussão sobre vocês. Para que no Dia do Juízo vocês não possam reclamar que o ignoraram. E você não poderá me culpar por não o mostrar a você. Na verdade, o Alcorão que está comigo não pode alcançar a posse de qualquer um, exceto os puros e os sucessores dos meus descendentes.’

Umar disse: ‘Há um tempo determinado para a publicação deste Alcorão?’ Imam respondeu: ‘Pelo contrário, será no momento do reaparecimento do Qa’im da nossa Progênie. Ele sim, trará isso a público. E ele fará com que as pessoas o sigam e aplicará sua própria Sunnah”. 

Eu digo: É possível que o segredo de nomear Sua Eminência, o Qa’im (aj), como Qur'an-e-Azeem (O Grande

Alcorão) é porque ele comanda pelo Alcorão e exorta as pessoas a lê-lo e agir de acordo com ele, e ele é a expressão viva do Alcorão e aquele que o tornará popular. 

Em Tafseer al-Burhan é narrado de Hissan Amiri que ele disse: Eu perguntei a Sua Eminência, Abu Ja'far Baqir (as) sobre o versículo: E certamente demos a você sete dos mais repetidos (versículos) e o grande Alcorão.” (Alcorão, Surah Hijr 15:87) Ele respondeu: ‘Não foi revelado assim.’ É o seguinte: ‘E certamente nós demos a você os sete (versículos) mais repetidos e o grande Alcorão. Nós somos aqueles (sete) e Alcorão-e-Azeem é o filho do filho (o Imam Mahdi).”

É relatado por Qasim bin Al-Urwah que Sua Eminência disse sobre o versículo: “E certamente demos a você sete dos versículos mais repetidos e o grande Alcorão.” Isto é: “Sete Imams e o Qa’im (aj).” 

Eu digo: Talvez o significado de sete Imams esteja de acordo com seus sete nomes e a tradição de Fátima (as) também deve ser mantida em mente, e o Alcorão-e-Azeem é o filho do filho, ou seja, a Sua Eminência, o Qa’im (aj). Porque está relacionado em Biharul Anwar que Ali (as) disse: “Há dois nomes para ele; um deles é secreto e o outro divulgado. O nome que deve permanecer confidencial é ‘Ahmad’ e o nome que será divulgado é ‘Muhammad’.” 

Apoiando esta questão, há também uma tradição que o escritor de Biharul Anwar citou de Yunus bin Abdur Rahman, com base na autoridade de alguém que o ouviu narrar: Eu perguntei a Sua Eminência, Abu Abdillah Sadiq (as) sobre o versículo: “E certamente demos a você sete dos mais repetidos (versículos) e o grande Alcorão.” Ele respondeu: “A alusão aparente é a Surah Hamd e a alusão oculta denota os filhos do filho, e o sétimo deles é Qa’im (aj).” 

Esta possibilidade é ainda apoiada pelo seguinte versículo: “Allah revelou o melhor dos anúncios, um livro conforme suas várias partes...” (Alcorão, Surah Zumar 39:23)

Em uma tradição do Imam Sadiq (as) que anteriormente narramos do Ghaibat Nomani, ele disse: “É como se eu pudesse ver os xiitas de Ali segurando nas mãos os versículos mais repetidos...” Assim, ele apoia este significado e a interpretação do Alcorão para Mathani é devido à repetição frequente desses versos uma vez foram revelados, e a partir daí o restante foi revelado no coração do Sagrado Profeta (S) gradualmente, em estágios, num período de vinte e três anos.  Portanto, com essa visão, denotasse especificamente Suratul Fatihatul Kitab (Suratul Hamd) - conforme narrado por Amirul Momineen Ali (as) - e a interpretação como Mathani é devido à sua repetição em cada oração compulsoriamente. E que eles compararam o Imam az-Zaman (aj) aos versos mais frequentemente repetidos, e em relação ao Profeta, são filhos dos filhos no segundo grau de filiação, devido ao seu relacionamento com o Profeta de acordo com o mundo humano e a criação dos seres humanos. E aquela Sua Eminência, Fátima (as) está na primeira categoria com respeito ao Alcorão. Assim como o Hadith Thaqlayn prova esse significado. Este hadith é Mutawatir por meio de fontes xiitas e sunitas. 

No entanto, de fontes sunitas, é narrado de Abu Saeed Khudri que ele disse: O Mensageiro de Allah (S) disse:

“Ó povo, deixo para trás entre vocês duas coisas de peso, uma delas é maior que a outra. O Livro de Allah, o Poderoso e Sublime; que é a corda esticada dos céus à terra, e minha progênie, minha família. E estes dois não se separarão até que voltem para mim ao lado do Hauz (o Lago de Kauthar).”

A partir dos elevados aspectos das ciências divinas e intelectuais, eles são da segunda posição como o Mensageiro de Allah (S) disse: “Eu sou a cidade do conhecimento e Ali é a sua porta de entrada.”

E o Amirul Momineen Ali (as) também disse: “O Mensageiro de Allah (S.A.A.S) abriu mil portas de conhecimento para mim, e cada porta abriu outras mil portas.”

Estas são as questões que me vieram ao sanar as dúvidas e ao pesquisar este tema, e Allah, o Todo-Poderoso, conhece os fatos. Embora existam ainda outras possibilidades de interpretação que não foram discutidas aqui, pois isso prolongaria desnecessariamente a presente discussão. Aqueles que desejam estudar a questão mais detalhadamente, podem consultar Miraatul Anwaar wa Mishkaatul Asraar do Shaykh Abul Hasan Shareef.

Mikyal al Makarim VOL.1  - p 59

Plain text

  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <span> <blockquote> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <br> <hr> <h1> <h2> <h3> <h4> <h5> <h6> <i> <b> <img> <del> <center> <p> <color> <dd> <style> <font> <u> <quote> <strike> <caption>
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.
3 + 2 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.