O resumo das provas da Ressurreição II

10:20 - 2021/10/31

Já os criminosos que praticaram os piores tipos de crimes contra a humanidade e tomaram os direitos dos outros podem talvez nunca cair nas garras da lei, e mesmo se caírem não seriam punidos de acordo com seus crimes e delitos cometidos aqui na Terra, pois seriam condenados por uma única vez e todo um conjunto de crimes que pudessem ter praticado fi caria sem punição. E não há nenhuma força limitada neste mundo que consiga retribuir todos os direitos violados das pessoas.

as provas da Ressurreição

O resumo das provas...
 

3) Deus o Altíssimo garantiu a recompensa da mesma forma que garantiu a punição. Então, é verdade quando dizemos que os designados devem receber por suas recompensas após a morte devido à garantia divina. Não há dúvida que as pessoas não podem alcançar suas recompensas ou punições por suas ações na vida tão curta deste mundo.

Os virtuosos e os benfeitores que passaram suas vidas em devoção e na expansão da virtude e da reforma sobre a Terra, e suportaram todo tipo de sofrimentos e tragédias por esta causa jamais poderiam ser recompensados por algo existente sobre esta Terra, que pudesse garantir a eles suas verdadeiras recompensas.

Já os criminosos que praticaram os piores tipos de crimes contra a humanidade e tomaram os direitos dos outros podem talvez nunca cair nas garras da lei, e mesmo se caírem não seriam punidos de acordo com seus crimes e delitos cometidos aqui na Terra, pois seriam condenados por uma única vez e todo um conjunto de crimes que pudessem ter praticado fi caria sem punição. E não há nenhuma força limitada neste mundo que consiga retribuir todos os direitos violados das pessoas.

E se todas as pessoas forem extintas com a morte, tanto os opressores quanto os oprimidos, os virtuosos ou os corruptos, iriam para os cemitérios sem nenhum tribunal ou julgamento justo que possa punir os criminosos severamente e recompensar os virtuosos generosamente, e isso seria contraditório com a promessa divina, que exige que cada um dos grupos seja selecionado em seu destino final, seja na recompensa ou no castigo.

E já que isso não pode ocorrer nesta vida então o Ma´ad (ressurreição) deve traduzir e representar a justiça de Deus fi sicamente no qual se cumpra a promessa verídica de Deus em recompensar generosamente os profetas e mensageiros, virtuosos e súditos, os mártires e os servos obedientes a Deus e ao mesmo tempo se vingar e punir os opressores e os corruptos sobre a Terra. Os versículos do Alcorão Sagrado expuseram estas provas em dois patamares:

a) Afirmar a diferença entre o desobediente e o obediente na outra vida, para alcançar a recompensa e a punição, e o que é prometido neste sentido para aplicar a justiça divina. Senão como então o desobediente seria castigado e como o obediente seria recompensado? E como o opressor será castigado e como o oprimido vencerá?

Deus o Altíssimo disse no Alcorão Sagrado: A Ele retornareis todos. A promessa de Deus é infalível. Ele origina a criação, e logo a faz reproduzir, para recompensar equitativamente os fiéis que praticam o bem. Os incrédulos, porém, terão por bebida água fervente e um doloroso castigo, por sua incredulidade[1]”.

Portanto, a justiça divina exige a seleção entre os virtuosos e os corruptos, para que cada um receba aquilo que merece.

 

b) A condenação da ideologia da igualdade entre os dois grupos. Deus o Altíssimo disse no Alcorão Sagrado: “Pretendem, porventura, os delinquentes, que os equiparemos aos fi éis, que praticam o bem? Pensam, acaso, que suas vidas e suas mortes serão iguais? Que péssimo é o que julgam![2]

Deus o Altíssimo disse no Alcorão Sagrado: “Porventura, trataremos os fi éis, que praticam o bem, como os corruptores na terra? Ou então trataremos os tementes como os ignóbeis?[3]”  

Deus o Altíssimo disse no Alcorão Sagrado: “Em verdade, para os tementes, haverá jardins do prazer, ao lado do seu Senhor(34)Porventura, consideramos os muçulmanos,tal como os pecadores? (35). O que há convosco? Como julgais assim? (36)”.[4]

Fonte: Al-Ma’ad,A Ressurreição.p 44_46,Assayed Charif Sayed Al-Ámeli,

(LIÇÕES SOBRE AS CRENÇAS ISLÂMICAS,Volume 5)

 

 

[1] . Alcorão Sagrado, C.10 – V.4

[2] . Alcorão Sagrado .C.45 – V.21.

[3] . Alcorão Sagrado C.38 – V.28

[4] . Alcorão Sagrado .C.68

Plain text

  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <span> <blockquote> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <br> <hr> <h1> <h2> <h3> <h4> <h5> <h6> <i> <b> <img> <del> <center> <p> <color> <dd> <style> <font> <u> <quote> <strike> <caption>
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.
Fill in the blank.