O ser humano na perspectiva do Islã 1

10:48 - 2021/07/05

O ser humano é uma entidade composta de espírito e corpo. Após a morte seu corpo se desfaz e seus membros se desintegram, somente seu espírito continua a viver e a morte do ser humano não implica em seu extermínio. Assim, ele continua com uma vida espiritual transitória (barzakî) até a constituição do dia da Ressurreição.

O Sagrado Alcorão, ao explicar as fases da criação e formação do ser humano, fez referência à última dessas etapas, que é aquela que se especificará infundindo o espírito em seu corpo, pois diz: “então, o desenvolvemos em outra criatura”.[1]

Assim também o Alcorão se refere à vida barzakhî do ser humano em muitos versos, incluindo: “E ante eles haverá uma barreira, que os deterá até ao dia em que forem ressuscitados”.[2]

A criação do ser humano está de acordo com uma natureza saudável
Todo ser humano nasce com uma natureza pura e monoteísta, de modo que, se ficar longe da influência de fatores externos (como educação, amizade e inculcação) que causam o desvio na crença, ele marchará no caminho da crença verdadeira.
Portanto, não é que existam pessoas inatamente más, mas que males e questões hediondas estão embutidos e eventuais problemas que se originam de fatores externos e voluntários.
Por isso, a ideia de “pecado original” nos filhos de Adão (a.s), que é levantada pelos cristãos contemporâneos, não tem fundamento, nem é correta.

O Sagrado Alcorão diz a este respeito: “Volta o teu rosto para a religião monoteísta. É a obra de Deus, sob cuja qualidade inata Deus criou a humanidade”.[3]
O ser humano é uma criatura com vontade própria e autônoma. Ou seja, depois de estudar os diferentes aspectos de um determinado assunto à luz do intelecto, ele opta por realizar uma ação ou parar de fazê-la, sem ser compelido a fazê-lo.
Diz o Alcorão Sagrado: “Em verdade, assinalamos-lhe uma senda, quer fosse agradecido, quer fosse ingrato”.[4]
Também diz: “Dize-lhes: A verdade emana do vosso Senhor; assim, pois, que creia quem desejar, e descreia quem quiser”.[5]

O ser humano é uma criatura viável para ser instruída e educada
Visto que o ser humano goza de uma essência sã e de uma capacidade que lhe permite conhecer o bem e o mal, e por ser uma criatura que goza de livre arbítrio e não é compelido, por tudo isso, é um ser capaz de receber instrução e educação, e capaz de trilhar o caminho da justiça e da perfeição, estando a porta do retorno a Deus, aberta para ele, a menos que seu arrependimento a Deus ocorra no momento em que ele sentir que a morte está chegando, em que o arrependimento não é aceite, nem o retorno a Deus favorecê-o em tudo.

É por isso que a pregação dos profetas é dirigida a toda a humanidade, mesmo aqueles como Faraó, conforme é expressa pelo Altíssimo: “E dize-lhe: Desejas purificar-te, e encaminhar-te até o teu Senhor, para O temeres?”.[6]  Com base nisso, o ser humano não deve se desesperar da misericórdia e do perdão divinos, como o expressa o Deus Altíssimo:
“não desespereis da misericórdia de Deus; certamente, Ele perdoa todos os pecados, porque Ele é o Indulgente, o Misericordiosíssimo”.[7]

O ser humano é uma entidade responsável
O ser humano é uma entidade responsável, pois goza da luz do intelecto e da graça do livre arbítrio, responsável perante Deus, perante os profetas, perante os líderes divinos, perante outros dentre os demais filhos da humanidade, e em frente do universo.

O Sagrado Alcorão em muitos versículos indica claramente esta responsabilidade que recai sobre o ser humano, dizendo:
“cumpri o convencionado, porque o convencionado será reivindicado.[8]
Também diz: “Não foi a sua origem uma gota de esperma ejaculada”.[9]

E diz o profeta Mohammad (S.A.A.S): "Todos vocês são pastores e todos vocês são responsáveis ​​pelo seu objeto de pastoreio."

 

[1] Alcorão sagrado. C.23, V.14.

[2] Alcorão sagrado. C.23, V.100.

[3] Alcorão sagrado. C.30, V.30.

[4] Alcorão sagrado. C.76, V.3.

[5] Alcorão sagrado. C.18, V.29.

[6] Alcorão sagrado. C.79, V.18-19.

[7] Alcorão sagrado. C.39, V.53.

[8] Alcorão sagrado. C.17, V.34.

[9] Alcorão sagrado. C.75, V.36.

Plain text

  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <span> <blockquote> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <br> <hr> <h1> <h2> <h3> <h4> <h5> <h6> <i> <b> <img> <del> <center> <p> <color> <dd> <style> <font> <u> <quote> <strike> <caption>
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.
6 + 7 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.